28 de dez de 2016

Manifesto do Partido Comunista, por Karl Marx e Friedrich Engels



Karl Heinrich Marx: Foi um intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina comunista moderna, que atuou como economista, filósofo, historiador, teórico político e jornalista. O pensamento de Marx influencia várias áreas, tais como Filosofia, História, Sociologia, Ciência Política, Antropologia, Psicologia, Economia, Comunicação, Arquitetura, Geografia e outras. Em uma pesquisa realizada.
Friedrich Engels: Teórico revolucionário alemão que junto com Karl Marx fundou o chamado socialismo científico ou marxismo. Ele foi coautor de diversas obras com Marx, sendo que a mais conhecida é o Manifesto Comunista
A ideologia alemã’ de Marx e Engels, descreve as bases do socialismo; como resultado da luta de classes e da necessidade de uma revolução democrática violenta para chegar a eliminar o trabalho assalariado e suprimir a dominação de todas as classes, para acabar com as classes mesmas, as nacionalidades, etc.
O manifesto do Partido Comunista’ é, sem dúvida, o livro de ciências social mais genial entre todos os da literatura mundial, surpreende-nos ainda hoje pela sua atualidade. Ele representou uma bela utopia por muitos perseguida, serviu como base para importantes revoluções socialistas, propondo a união dos trabalhadores, em todas as partes do mundo, em torno de um ideal de igualdade, contra a opressão Burguesa e por uma vida plena. O Manifesto sugere um curso de ação para uma revolução socialista através da tomada do poder pelos Proletários.




Manifest der Kommunistischen Partei, originalmente denominado; Manifesto do Partido Comunista, escrito por Karl Marx e Friedrich Engels, lançado no dia 21 de fevereiro de 1848, expõem as formas de opressão social, durante um período histórico de grandes Revoluções, onde apontam os fatos no qual a burguesia foi à classe social que desempenhou o papel eminente da revolução industrial com o renascimento comercial e urbano, asfixiando a classe de marcadores de pequena escala, e acabando com todas as relações sociais antigas e estratificadas, e inclusive conquistando uma grande autoridade política do Estado. Este documento é visto como marco inicial do movimento comunista, que buscava reunir toda a sociedade contra a exploração capitalista, constituindo-se de um tratado político que teve como objetivo atacar a produção capitalista, propor uma nova forma de organização social baseando-se no fim da divisão de classes derrubando a burguesia, seus valores, a propriedade privada dos meios de produção, a religião, a educação doméstica das crianças, o direito de herança, a mão de obra infantil nas fábricas e a divisão territorial e cultural, através da revolução. Movimento este que se alastrou mundialmente.
No manifesto comunista temos dois campos antagônicos: Burguesia e proletariado, sendo eles o grande desencadeador da divisão de classes social naquela época. Porém mesmo antes desta divisão o mundo sempre esteve passado por várias mudanças políticas e econômicas ao longo dos anos onde sempre existiram uma classe dominante e uma classe dominada presente, como Patriarcas e Plebeus, Mestres e Servos. São divisões hierárquicas visíveis até na atualidade.
Karl Marx e Friedrich Engels explicam que todo partido de oposição naquela época era julgado comunista por aqueles que estavam no poder, e se a classe burguesa era a que detinham o poder, qualquer ato de revolução era associada ao comunismo, pois a organização era baseada na propriedade coletiva dos meios de produção, e falava-se sobre uma sociedade sem classes, e sem Estado, e uma revolução do proletariado. Resumindo, uma ameaça então à burguesia, pois o que caracterizava o comunismo era a abolição da propriedade burguesa.


Este livro deve ser compreendido no seu contexto histórico, e também é esclarecedor ao expor as opiniões dos autores a cerca da exploração da classe trabalhadora, que avaliado devidamente nos trás uma clareza sobre a situação socioeconômica naquela época, encontrando respostas mesmo na atualidade sobre a sociedade que vivemos e seu modo de produção capitalista, que acumulam suas riquezas com uma parte do trabalho não pago, denominada por Marx como Mais-Valia.
O manifesto comunista faz uma análise dos problemas desenvolvidos pelo capitalismo e suas possíveis soluções. Existem diversas opiniões de que a ideóloga comunista foi algo que trouxe grandes problemas a sociedade, se verificarmos os países que adotou está ideologia política, e que não há como encontrar na economia (a ciência que analisa e estuda os mecanismos referentes à produção, ao consumo e à utilização dos bens materiais, resumindo o comunismo), a explicação de como a sociedade se organiza, pois a economia não tem capacidade organizadora, e não é aglutinada, segundo o sociólogo Gabriel Cohn. Entretanto, não se deve ignorar o fato do desencadeamento da motivação de diversos movimentos trabalhistas que ajudou a amenizar os problemas relacionados à absurda exploração que sofriam há várias décadas, onde os movimentos operários eram fortemente reprimidos. 


Um autor que poderia explicar de forma mais clara seria Antonio Candido, ele explica que o socialismo é uma doutrina triunfante porque suas reivindicações estão sendo cada vez mais adotadas. É preciso conciliar a ambição econômica – que o homem civilizado tem, assim como tem ambição de sexo, de alimentação, tem ambição de possuir bens materiais – com a igualdade. É quem pode resolver melhor essa equação é o socialismo. Afinal o que é o socialismo? É o máximo de igualdade econômica.
O socialismo é o cavalo de Troia dentro do capitalismo. O socialismo humanizou o mundo. “O que se pensa que é a face humana do capitalismo é o que o socialismo arrancou dele”, afirma.

Nenhum comentário: