29 de dez de 2016

Extraordinário, de R. J. Palacio



Não julguem um LIVRO (MENINO) pela CAPA (CARA)

Auggie é um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Ele é um garoto Extraordinário. Nunca sentir tanta admiração por um personagem como o Auggie, que apesar de suas limitações e o preconceito alheio cria um manifesto em favor da gentileza.

"O mais engraçado é que se ele não tivesse posto a mochila entre nós dois, eu com certeza teria me oferecido para ajudá-lo." (PRIMEIRO DIA DE AULA).

O livro em si envolve vários personagens marcantes, e o ponto de vista das crianças que cercam o garoto.

"A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma."

Por ter que passar por varias cirurgias faciais, Auggie nunca frequentou uma escola, e depois de anos, ele finalmente ingressa em uma. Ser o garoto novato já é ruim, mas ter a face de Auggie complica mais ainda às coisas. Mas sua visão perante a crueldade das demais crianças é totalmente analítica. Sua tese é ‘’As crianças não sabem o quanto podem ser cruéis’’. Ele é um garotinho muito maduro, muito consciente, e completamente compreensivo, que encara sua situação na medida do possível.

Apaixonei-me por quase todos os personagens desse livro, e espero que as pessoas percebam a mensagem que o autor nos deixa referente à pureza das relações da juventude, a evolução das crianças, as mudanças comportamentais, e como a criação dos pais influencia na forma como seus filhos vão encarar os ‘’Auggie’’ da nossa sociedade.
Summer é uma das garotas que cria laços com Auggie no primeiro dia de aula, uma garota dócil, e meiga que amei logo de cara. E temos o Julian que é um garoto que persegue Auggie na escola, e apesar de não agredi-lo fisicamente, o garoto é malcriado e ofensivo, e a historia envolve até os pais dessas crianças.

Os pais de Summer, entre outros pais, também amigos de Auggie, refletem a mesma solidariedade para com o nosso personagem, e os de Julian, que criam uma aversão pela criança, ao vê-lo como um empecilho para o desenvolvimento acadêmico dos seus filhos ao ter que se “misturar” com Auggie no ambiente escolar. E essa é a mensagem que vejo, ao ler o livro é; como os pais influenciam na tolerância dos seus filhos e o nível de gentileza e empatia pelo próximo.

Auggie começou o livro ainda com certa mágoa com relação a sua vida, e ao fim do livro, veremos um garoto completamente mudado. Ele passa a se aceitar (assim como seus amigos) e se amar, do jeito que ele é. E foi maravilhoso acompanhar esse desenvolvimento.

Ouso dizer que a história de Auggie me mudou. E tenho certeza que vocês também passarão a ver o mundo e as pessoas de forma diferente depois que lerem o livro. A narrativa é encantadora, delicada e emana pureza, gentileza e amor.


"Não precisamos dos olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós."


O Filme baseado no livro Extraordinário ganha data de estreia no cinema, com Julia Roberts e Jacob Tremblay, o fofinho de O Quarto de Jack.

A Lionsgate, produtora responsável pelo filme, confirmou à revista Variety que o longa deve chegar aos cinemas norte-americanos em 7 de abril de 2017. Ainda não se sabe quando o filme estrearia no Brasil, mas é provável que seja perto desta data.

Nenhum comentário: